Auto sabotagem: 5 dicas para vencer esse hábito

A auto sabotagem é um perigo, e para quem é empreendedor, ou deseja ter o próprio negócio, é muito importante ficar atento para não deixar o hábito da auto sabotagem prejudicar a sua vida e atrasar a concretização dos seus objetivos.

O suposto “lugar seguro”

Após acontecimentos muito complicados e dolorosos, é natural tentarmos encontrar algum recanto que nos permita elaborar nosso sofrimento.

lidar com a auto sabotagemEntretanto, essa situação não deve se prolongar por muito tempo, deve funcionar apenas como uma maneira de reforçar nossas energias para voltarmos a enfrentar os desafios cotidianos.

No entanto, pode acontecer de querermos ficar mais tempo que o necessário nesse refúgio, buscando com isso escapar de possíveis dissabores. Mas para permanecer nesse refúgio é necessário que exista algo que seja capaz de justificar nossa permanência nesse suposto “lugar seguro”.

Então, nos empenhamos em conseguir justificativas que, na maioria das vezes, são fantasiosas e não condizem com a realidade. Essas justificativas são formadas na nossa cabeça e tem tanto poder que acabamos por acreditar firmemente nelas, e tentamos a todo custo fazer as outras pessoas também acreditarem.

Dessa forma, essas justificativas se transformam em crenças inflexíveis, e impedem o nosso crescimento, pois funcionam como limitadoras de nossa capacidade de agir.

O que ganhamos e o que perdemos

Com as crenças limitadoras conseguimos ganhar algumas coisas:

1 – Ficamos quietos e não precisamos agir para vencer desafios;

2 – Esquivamos da dor provocado pelos possíveis fracassos;

3 – Nos colocamos como vítimas e evitamos cobranças;

4 – Pode acontecer de, no início, recebermos muita atenção das outras pessoas.

Mas com as crenças perdemos também muitas outras coisas:

1 – Perdemos a oportunidade de utilizar os desafios para aumentar nossas forças internas;

2 – Perdemos a oportunidade de aprender com os possíveis fracassos;

3 – Perdemos a oportunidade de descobrir coisas novas;

4 – Perdemos a oportunidade de conseguir novas habilidades;

5 – Ficamos cada vez mais longe de nossos objetivos e sonhos;

6 – Com o passar do tempo pode acontecer das pessoas ao nosso redor se ressentirem por causa das nossas cobranças — quando nos colocamos no lugar de vítimas, no início recebemos muita atenção, contudo, com o passar do tempo nos acostumamos com a atenção recebida, e quando perdemos um pouco dela, nós cobramos das pessoas, então elas se ressentem, pois não podem ficar o tempo todo atendendo nossos caprichos.

As crenças limitadoras são uma forma de auto sabotagem

Quando construímos as justificativas que nos possibilitam ficar no nosso suposto “lugar seguro”, construímos crenças que nos limitam. Essas crenças funcionam como uma maneira de sabotar nossa própria capacidade de ação, e podem trazer muitos prejuízos.

São exemplos dessas crenças:

1 – “Eu não consigo realizar isso.”

2 – “Todas as vezes que eu tentei fazer alguma coisa fracassei.”

3 – “Pra que lutar quando estou numa realidade tão desfavorável?”

4 – “Eu não tenho sorte, eu sempre me dou mal.”

5 – “As pessoas não dão a mínima para o que eu faço.”

6 – “A culpa é de tal pessoa, ela estragou tudo, eu a odeio!”

Essas crenças são extremamente limitadoras e têm um alto poder destrutivo. A auto sabotagem que fazemos com elas tem efeito direto no nosso humor e motivação.

Se você percebeu que faz uso de alguma dessas crenças para justificar seu atual estilo de vida, então você precisa começar a pensar seriamente sobre como tem levado a sua vida e qual a sua responsabilidade nisso tudo.

5 dicas para vencer o hábito da auto sabotagem

Felizmente é possível encarar e vencer o triste hábito da auto sabotagem.

A partir de agora vamos apresentar 5 dicas que podem ajudar você a vencer esse mal.

1 – Identifique as formas como você sabota a sua vontade de agir

Essa é a primeira coisa que você deve fazer para conseguir vencer o hábito da auto sabotagem. É preciso identificar o que você costuma fazer quando pensa em agir para mudar a sua vida para melhor.

Você pensa que não compensa agir? Que é sempre muito difícil tentar coisas novas? Que não tem competências para realizar certas coisas? Que não consegue melhorar os seus conhecimentos e as suas competências?

São muitas as formas como tentamos sabotar a nossa vontade de agir. Fique atento e preste muita atenção aos pensamentos e sentimentos que aparecem quando você se propõe a fazer alguma coisa para mudar a sua vida.

2 – Identifique as suas reais habilidades e as suas reais limitações

Agora você precisa identificar quais as suas reais habilidades e quais as suas verdadeiras limitações. Em seguida pergunte-se:

  • Minhas limitações realmente me impedem de mudar a minha vida para melhor?
  • Será mesmo que não posso trabalhar as minhas limitações, de forma que eu fique mais apto para realizar aquilo que pode mudar a minha vida para melhor?
  • O que eu posso fazer com as minhas atuais habilidades?
  • Quais recursos eu posso utilizar para melhorar as minhas habilidades e trabalhar as minhas limitações?
  • Quais pessoas e instrumentos que podem me ajudar a superar as minhas limitações?

3 – Estabeleça um propósito

Então, você já identificou as formas como se auto sabota, identificou as suas reais habilidades e limitações. Agora chegou o momento de você estabelecer um propósito.

Estabelecer um propósito nada mais é que identificar algo que você deseja alcançar. Inicialmente não precisa ser algo muito grandioso, pode ser algo simples, como fazer um curso breve de qualificação profissional ou começar a fazer exercícios físicos.

Estabelecer um propósito é uma forma de desafiar nosso hábito de auto sabotagem, é uma maneira de nos obrigarmos à ação, o que nos ajuda a escapar do suposto “lugar seguro” — esse lugar que na verdade só nos dá sentimentos de menos valia e perda do sentido da vida.

4 – Estabeleça um prazo para realização do seu propósito

Quando estamos na zona de conforto, ou seja, no suposto “lugar seguro”, temos uma grande tendência para protelarmos as coisas. Precisamos então forçar um pouquinho para que realmente ocorra um movimento importante.

Estabeleça um prazo e, se possível, comente com alguém de confiança e peça a essa pessoa que cobre de você o cumprimento desse prazo — fique muito atento aqui, essa a fase mais difícil, e se você não ficar firme, poderá retornar à estaca zero, aí ficará cada vez mais difícil agir de verdade.

Não estabeleça um prazo muito longo, pois se você estabelecer um prazo muito longo poderá acontecer de querer “pensar melhor no assunto”, e esse suposto “pensar” nada mais é do que outra estratégia de auto sabotagem. Portanto, fique esperto.

Com isso não estamos dizendo que você deve agir sem pensar. O que estamos dizendo é que você deve estabelecer um propósito e colocar um prazo real para a sua realização, mas sem delongas.

5 – Cumpra o seu propósito, aprenda com o resultado e, a partir daí, continue a estabelecer outros propósitos

Se você conseguiu marcar um prazo para realizar o seu propósito, e está a ponto de realizá-lo, parabéns, você está caminhando! Agora aja e realize o seu propósito, e aprenda com o resultado.

Se ainda não conseguiu estabelecer um prazo, não desanime, seja perseverante e você conseguirá.

Quando realizamos um propósito temos duas possibilidades: alcançar sucesso ou fracassar. As duas trazem vantagens que podem ser aproveitadas.

Se você obteve sucesso no seu propósito, ótimo, você agora sabe que é possível realizar as coisas e que elas podem ser feitas quando agimos com coragem, determinação e energia.

Se você fracassou, não tem problema, você tem uma ótima oportunidade de compreender que nem sempre é possível ganhar, e que podemos sempre recomeçar, e que conquistas exigem esforços, coragem, perseverança, reflexão, algum sofrimento, ação e boa estratégia.

Percebe? De qualquer maneira você aprende e ganha alguma coisa.

Agora você pode estabelecer outros propósitos, e caminhar rumo à conquista de uma vida melhor.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!