Como montar um fluxo de caixa em 5 passos práticos

Ter um bom fluxo de caixa é essencial para toda empresa, entretanto muitos empreendedores ainda têm dificuldade em elaborar seu fluxo de caixa. Neste artigo você vai aprender como montar um fluxo de caixa em 5 passos simples e práticos e superar a desorganização financeira em seu negócio.

Antes de mais nada é essencial perceber a importância de uma boa administração financeira de seu negócio. Você precisa ter consciência que tão importante quanto produzir é necessário controlar as despesas e as entradas de caixa.

Os primeiros problemas financeiros de muitas empresas não surgem devido à crise ou falta de serviços. Estes problemas são consequência da falta de organização financeira.

Ou seja, negligenciar uma boa administração pode levar seu negócio à falência. Por isso, caso você não tenha condições de contratar um especialista para sua empresa é hora de você aprender como conduzir as finanças de sua empresa para não correr riscos de perder seu negócio devido à desorganização.

Aproveite os passos a seguir de como montar um fluxo de caixa e comece hoje mesmo a organizar seu negócio.

Passo a passo de como montar um fluxo de caixa

1 – Escolha uma boa ferramenta para fazer seu fluxo de caixa:

passo a passo de como montar um fluxo de caixaO primeiro passo para fazer um bom fluxo de caixa é escolher uma boa ferramenta. Hoje em dia existem inúmeras opções, desde opções gratuitas a opções pagas.

Você pode fazer seu fluxo de caixa manualmente em um livro específico para isso. Você pode comprar um livro de fluxo de caixa em qualquer papelaria próximo de sua empresa.

Também é possível fazer seu fluxo de caixa com uma boa planilha de Excel. Você mesmo pode desenvolver sua planilha de Excel, comprar uma planilha na Internet ou até mesmo utilizar planilhas gratuitas que estão por toda parte na Internet.

Outra boa opção são os programas de controle financeira, são programas para computador ou aplicativos para celular que auxiliam a fazer a administração financeira da empresa.

Todas as três opções acima funcionam, é você que deve escolhera opção que mais se adéqua à sua realidade.

2 – Aprenda a classificar as saídas de caixa de sua empresa:

O segundo passo de como montar um fluxo de caixa é aprender a classificar as saídas de caixa de sua empresa.

As saídas de caixa são todas as despesas que são pagas pela sua empresa. É literalmente o dinheiro que sai do seu caixa para pagar fornecedores, impostos, contas de concessionárias de energia e água, aluguel, despesas com mão de obra, despesas com terceirizados e tantas outras despesas que todo negócio possui.

É importante que você crie categorias simples para classificar as suas despesas, isso irá facilitar sua vida na hora de avaliar o seu fluxo de caixa.

Cada negócio possui características distintas, logo, esta classificação poderá variar de empresa para empresa. É comum encontrar categorias como:

  • Fornecedores;
  • Impostos;
  • Despesas Operacionais;
  • Investimentos;
  • Folha de Pagamento;
  • Serviços terceirizados.

3 – Anote diariamente as entradas e saídas do seu caixa:

O terceiro passo é anotar diariamente todas as entradas e saídas do seu caixa, fazendo um controle diário você terá condições de acompanhar dia a dia a situação financeira do seu negócio.

Sua anotação deve conter algumas informações importantes, como a descrição da despesa ou receita, a data real e o valor da operação. Para as despesas ainda é possível anotar a classificação da despesa.

Você deve ter atenção para negociações feitas a prazo, tanto receitas quanto despesas devem ser apontadas no fluxo de caixa no dia real que elas saírem ou entrarem no seu caixa. Ou seja, caso você venda algo com prazo de 30 dias, esta venda só entrará em seu caixa quando você realmente receber o dinheiro.

Vale lembrar que o fluxo de caixa deve ser sempre real e representar o dinheiro que você realmente possui em caixa ou não. Por isso, a importância de anotar diariamente todas as despesas e receitas.

Outra dica importante é que você não deve desprezar nenhuma despesa ou receita, por menor que ela seja. É importante anotar tudo e fazer um controle efetivo das finanças do seu negócio.

4 – Avalie o seu fluxo de caixa constantemente:

O quarto passo de como montar um fluxo de caixa de qualidade é fazer uma boa avaliação de seu fluxo de caixa.

O fluxo de caixa não deve ser utilizado apenas como uma planilha de apontamentos, mas sim como uma ferramenta que fornece informações importantes para seu negócio.

Pelo fluxo de caixa você pode verificar se o seu negócio possui recursos financeiros ou se está no vermelho. Isso é importante para verificar a saúde financeira da sua empresa.

Vale destacar que uma empresa não chega à falência por falta de serviços e sim por fluxo de caixa negativo. Ou seja, o fluxo de caixa negativo constante mostra que a empresa não possui dinheiro em caixa para operar.

Pelo fluxo de caixa você também pode fazer uma análise dos melhores dias para negociar os vencimentos de suas maiores despesas. É possível também encontrar informações importantes de despesas que estão acima do esperado e desenvolver ações para reduzir custos de sua empresa.

O fluxo de caixa pode ser uma ferramenta eficaz no controle financeiro de seu negócio.

5 – Faça também o fluxo de caixa projetado para sua empresa:

Após avaliar todas as informações que seu fluxo de caixa contém é possível começar a estimar o que irá acontecer no futuro de seu negócio.

Com boas informações de meses anteriores você terá condições de desenvolver um bom fluxo de caixa projetado. Ou seja, você poderá preencher seu fluxo de caixa antevendo as possíveis despesas e receitas que ocorrerão nos meses seguintes.

Desta forma você poderá se preparar para superar momentos difíceis ou aproveitar boas oportunidades.

O fluxo de caixa projetado é importante para se preparar para despesas futuras, que poderiam deixar seu caixa desguarnecido. Também é possível utilizar este tipo de fluxo de caixa para avaliar a viabilidade de financiamentos, empréstimos ou até novos investimentos.

Só é possível fazer um bom fluxo de caixa projetado quando você já possui um fluxo de caixa bem feito. É preciso ter dados e informações concretas para não errar na hora de estimar as despesas e receitas futuras em seu negócio.

Finalizando

Como você pode conferir, fazer um bom fluxo de caixa não é tarefa complicada, mas exigirá de você compromisso diário em anotar todas as entradas e saídas do seu caixa.

Além disso, é válido ressaltar que faz parte do desenvolvimento de um bom fluxo de caixa uma análise constante dos resultados e também a elaboração de projeções e estimativas do que poderá acontecer no futuro do seu negócio.

Confira mais uma vez o passo a passo de como montar um fluxo de caixa:

  • Escolha uma boa ferramenta para fazer seu fluxo de caixa;
  • Aprenda a classificar as saídas de caixa de sua empresa;
  • Anote diariamente as entradas e saídas do seu caixa;
  • Avalie o seu fluxo de caixa constantemente;
  • Faça também o fluxo de caixa projetado para sua empresa.

Caso você tenha alguma dúvida ou queira contribuir é só deixar um comentário.

Compartilhe este artigo com seus amigos e nos ajude a colaborar com a construção de uma cultura empreendedora.

Forte abraço.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!